Literária sempre. Monótona, jamais.

Devaneios de um protótipo humano na infoesfera.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Caminhada


Por: Viviane Cabrera




Mil passos.
Trilhas feitas de espaços
Em que me perco
Onde as ideias fazem um cerco
Para tentar dissuadir
Minha decisão de abstrair.

Na abstração me escoro
Na ânsia de fortalecer e devoro
As possibilidades de me livrar do desalento
Que é doar-se tanto e receber a migalha de um momento.
Vou parar de pensar e seguir adiante
Como se isso fosse algum calmante.

E apegada à névoa de devaneios
Crio expectativas, multiplico diversos anseios.
Mas a cada passo dado
É para trás que abandono o passado
Deixando dele o que não vale a pena,
Os atores ruins, tirando de cena.

Pé após pé,
Deslizando quase que num auto de fé
no asfalto pulsante
de um caminho angustiante
rumo ao nada,
pronta para dar a última cartada.



Nenhum comentário:

Postar um comentário