Literária sempre. Monótona, jamais.

Devaneios de um protótipo humano na infoesfera.

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Da flor e do resto


Por: Viviane Cabrera





Laranjeira em flor,
laranjeira em flor.
Seu perfume tem sabor
da sublime suavidade
que aos olhos cansados é um pouco de felicidade.
Tem jeito de tarde sem fim.
Um vôo leve de querubim.
De riso frouxo de criança.
De passo novo de dança.
E o sol majestoso que no céu se esparrama
lança raios sobre a verde rama,
fazendo destaque à natureza.
Fazendo ressaltar aos olhos a simples e real [beleza.
Laranjeira em flor,
Laranjeira em flor.
Nesse encantamento esqueço a dor
de ter aos pés um grilhão
que aperta também o coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário